MANUAL DE INSTRUÇÕES AO PACIENTE - INFORMAÇÕES TÉCNICAS 

Exposição Individual - Temporada de Projetos, Paço das Artes, São Paulo, Brasil

por Paula Alzugaray

Em atlas e enciclopédias médicas, o corpo humano pode ser definido como um conjunto de sistemas com finalidades específicas, coordenados entre si de maneira a manter a saúde e a vida. A organização do corpo humano é objeto de estudo de Fernanda Chieco, mas o equilíbrio e a saúde de seus corpos dependem de uma ordem diversa à sinalizada nos compêndios. A obra da artista paulista traz explicações próprias sobre como os sistemas - seus órgãos e canais constitutivos - se relacionam uns comos outros.

 

Composição. O equilíbrio da vida na obra de Fernanda Chieco pode depender de duas veias jugulares do sistema circulatório de um corpo estarem conectadas às extremidades do sistema respiratório (narinas) de outro corpo ou da premissa de qualquer uma das extremidades do sistema digestivo (boca ou ânus) de um, estar bem atarraxada à traquéia de outro. Adquire-se, desta forma, um circuito fechado que garante o bom funcionamento dos sistemas.

 

Indicações. Nesse jogo de montar, também interagem comos corpos uma categoria específica de objetos da esfera cotidiana: aqueles produzidos para serem instintivamente acoplados ao corpo humano, funcionando como prolongamentos naturais. Assim, executando uma espécie de estudo fisiológico do objeto utilitário, a artista realiza em seus desenhos, objetos e instalações, diversas possibilidades de encaixes e ajustes entre mouses, moedores de carne, manivelas, furadoras elétricas e inaladores em geral, com bocas, ânus, narinas e orelhas. Muitas vezes, o esforço em estabelecer conexões resulta em sistemas fechados, como no desenho Floss, em que um fio dental funciona como um cateter, entrando pela boca e saindo pelo ânus.

 

Contra-indicações e reações adversas. Não são conhecidas contra-indicações específicas, nem a intensidade e a frequência das reações adversas à obra de Fernanda Chieco. Porém, a exemplo de experimentos científicos ou procedimentos de tortura, seus equipamentos são frequentemente desenhados com afinalidade de estimular ou destruir as funções do corpo (submetendo-o a posições e situações inesperadas). A imprevisibilidade é, portanto, premissa básica da obra. No desenho Mimoso 2, um braço é transformado em arpor um moedor de carne. Mas há casos em que observa-se o desaparecimento total do corpo. Na série de objetos intitulada Shrunken Heads, corpos são inteiramente sugados por próteses. Instruções de uso. Na obra de Chieco, desenhos e instalações estão a serviço de experimentos. Na noite de abertura da exposição no Paço das Artes, a instalação Red Light Suction Device é utilizada por quatro corpos, conduzidos a ingerir a luz vermelha emitida de um equipamento feito de chupetas, tubos de mergulho e um ventilador de teto. Não há registro do intuito que conduz a tal classe de experimento. Possivelmente seja similar ao que leva um inventor do século 18 a criar uma colher dupla para gêmeos, ou um surrealista do século 20 a juntar uma lâmina de barbear a um globo ocular. Em Chieco, não se trata de ressignificar as coisas do mundo real, mas de produzir o inventário de uma nova categoria de seres-objetos. 

© 2011 fernandachieco.com

  • Facebook
  • Instagram